IMG_1772

Como encarar 2016: Resoluções de ano novo

Todo fim de ano, a mesma coisa: uma lista enorme de coisas que quero fazer, metas que quero atingir, mudanças que quero efetuar, e todos aqueles itens que estavam na lista do ano anterior e acabaram ficando para trás. Este ano, decidi experimentar uma estratégia diferente – em vez de listar tudo assim, corrido, os desejos e objetivos e sonhos em uma lista só, separei minha lista em algumas partes: uma com projetos (profissionais/criativos, principalmente), uma com resoluções de mudanças minhas de perspectiva/atitude/estilo de vida, uma com coisas que quero fazer/atingir de forma mais pontual (por exemplo, uma viagem), e uma com o que já está encaminhado e de fato deve acontecer se tudo correr bem (por exemplo, meu TCC da pós).

Aproveitei um tempo inútil na autoescola outro dia para rascunhar essas listas e fazer umas anotações a respeito no meu caderno. A versão completa vai ficar guardada, só pra mim, porque às vezes eu me controlo na vontade de overshare, mas queria compartilhar com vocês minhas quatro resoluções principais no que diz respeito à forma como eu vivo minha vida.

Ser mais consciente no meu gasto de dinheiro
Não sou de comprar muita coisa ou de forma muito impulsiva, mas não sou também especialmente cuidadosa com meu dinheiro. Já comecei a mudar isso esse ano, baixando o CoinKeeper para ter mais controle sobre meus gastos, mas a resolução passa por mais do que só economizar. A ideia é que eu considere a real necessidade de algo antes de comprar, que eu não compre comida várias vezes por dia quando estou na rua para passar o tempo, que eu reflita sobre o que eu realmente gostaria de fazer com aquele dinheiro em vez de buscar baixa gratificação imediata. Além disso, o objetivo é também pensar mais sobre o que eu compro e de onde eu compro, focar em pagar artistas por seus trabalhos (tenho apoiado com dinheiro alguns sites que eu leio muito, por exemplo), tentar ativamente usar meus gastos para incentivar o que eu quero incentivar.

Ser mais cuidadosa com o que eu digo
Eu falo demais. Assim, muito mesmo. Muito e alto e rápido. E muitas vezes falo coisas totalmente desnecessárias, por razões totalmente desnecessárias, e acabo ouvindo de menos. A ideia então é ser sincera, ser assertiva, mas saber quando ficar quieta e escutar; além disso, também é evitar reclamar à toa, falar coisas desnecessariamente negativas sobre os outros ou sobre mim mesma, ou ser impaciente e grossa. Basicamente, é seguir o que a Gala Darling explica aqui: be impeccable with your word.

Me aproximar do que me faz bem, me afastar do que me faz mal
Parece muito geral, mas cada um sabe o que está em cada categoria. Não só o que, mas quem. A ideia é me cercar de relações positivas, me afastar das tóxicas; me cercar de experiências enriquecedoras, me afastar das que me drenam sem necessidade; me alimentar do que me faz bem e me dá prazer, me afastar do que não me acrescenta em nada, e assim por diante.

Respeitar tempos e limites
Não só meus, mas dos outros. Devo aprender a ser mais paciente, mais pontual e mais organizada no que diz respeito aos meus compromissos, valorizando o tempo e os limites alheios. Mas devo, também, respeitar meus compromissos comigo mesma – não procrastinar na hora em que me organizei para focar em um determinado projeto, mas também não interromper um momento agradável de descanso porque bateu aquele desespero pra trabalhar e resolver problemas que podem muito bem esperar; não decidir tirar um cochilo na hora de malhar, mas também não decidir fazer uns vídeos do Blogilates no meio da madrugada; não passar horas do meu tempo vendo coisas inúteis no Facebook, mas também não ser só produtiva 100% do dia.

Pouco depois de escrever essas quatro grandes resoluções, fui parar em um texto da Sarah Von Bargen sobre viver a vida dela de propósito, ou seja, ser consciente em suas ações e escolhas, em vez de só deixar as coisas fluírem. Me dei conta, então, que existe um tema geral no que eu quero me comprometer a fazer em 2016: viver minha vida de propósito.

Estou bem feliz com minha nova estratégia para organizar resoluções e bastante animada para o ano que vem por aí. E vocês? Fizeram listas de resoluções? Tem um tema geral que engloba o que vocês querem para o ano? Se quiserem, me contem o que desejam para 2016 aqui nos comentários, eu sempre adoro saber!