Feliz aniversário para mim!

Hoje (dia em que o post sai no blógue) é meu aniversário (hoje-dia-em-que-escrevo-o-post não é, porque tenho mais coisa pra fazer no meu aniversário)! EEEE! Parabéns para mim! Como leonina que se preze, amo fazer aniversário, amo comemorar aniversário, amo parabéns, amo receber presentes, amo ter um dia inteiro em que, por uma decisão social arbitrária estranha, as pessoas são excepcionalmente legais comigo.

Além disso, amo dar festas temáticas. Vejam bem, não curto muito festas em geral – canso rápido, não gosto de beber, tem sempre muita gente, prefiro Netflix. Mas gosto de dar as festas, especialmente pra fazer todo mundo comemorar meu aniversário, e gosto de determinar temas porque, como estava falando outro dia com a Lorena, diversão é pra ser organizada.

11252733_10153452745259424_1544122050358443316_n

Então, já que 1. hoje faço 24 anos; 2. tenho uma lista de 23 aniversários já passados; 3. tenho um blógue e é pra isso que servem blógues, decidi fazer uma retrospectiva especial de aniversário da Sofia: todas as minhas comemorações, de trás pra frente.

2014, 23 ANOS

2014-2

Ano passado não dei uma festa de aniversário de verdade, porque passei a data em NY sendo maravilhosa com o namorado – fizemos piquenique no Central Park, andei por todos os lados usando uma coroa, compramos um monte de comida trash para “jantar” vendo Netflix num apartamento show no Upper East Side, foi basicamente minha vida dos sonhos.

Verônica, eu e Lorena. <3

Verônica, eu e Lorena. <3

Mas, porque gosto de parabéns, encontrar gente pra me dar parabéns, etc., rolou uma pequena comemoração discreta (que era pra ser um piquenique mas virou um lanche na casa da minha avó porque choveu) com chapéus de festas & espumante cedidos pela Luiza, bolo de tangerina delicioso feito pela Verônica, e a agradável companhia dos amigos.

2013, 22 ANOS

Foto por Derek Mangabeira.

Foto por Derek Mangabeira.

Convidei todo mundo para uma super festa temática de contos de fadas para comemorar meus 22 anos. Me vesti de princesa (vocês vão reparar que me vestir de princesa é uma das minhas coisas favoritas nos meus aniversários), enchi a casa de balões e luzes coloridas, fui agraciada pela presença de bruxas, fadas, gnomos, rainhas e príncipes, e uma galera ficou dançando até muito de manhã mesmo, até que eu tive que mandar todo mundo embora porque eu estava estreando um sapato novo e portanto estava 10 vezes mais cansada do que estaria normalmente. A partir daqui vocês observarão um péssimo hábito dos meus aniversários: nunca tenho uma boa quantidade de boas fotos. ):

2012, 21 ANOS

2012-4

É engraçado, mas 21 anos foi um aniversário super importante pra mim. Sei que não é 18, que não é 20, que 21 não tem nenhuma relevância por aqui, mas 2012 foi o ano em que comecei a tratar da minha depressão e ansiedade, e foi um aniversário que passei muito feliz, como não me sentia há tempos. Comemorei com um baile de máscaras caprichado, com todo mundo elegante e disfarçado.

Foi também o primeiro aniversário que eu passei com o Paulo, então:

2012-5

2011, 20 ANOS

Foto por Derek Mangabeira.

Foto por Derek Mangabeira.

Fiquei meio péssima vendo as fotos do meu aniversário de 20 anos por conta da diferença gritante da minha vida em relação a 2012. Em 2011 eu estava bastante deprimida, péssima com meu corpo, desconfortável com meus amigos. A foto que escolhi para postar aqui é fofa e sorridente, porque o aniversário, que eu lembre, foi bem legal. Fiz uma tea party levemente surreal, no estilo Alice no país das maravilhas, botei (de novo) uma coroa e curti uma tarde de bate papo e uma noite de música (uma galera levou instrumentos e eu até toquei baixo! Em público!).

2010, 19 ANOS

SONY DSC

Na preguiça total de organizar alguma coisa pra valer, decidi só convocar todo mundo para um piquenique. E não é que foi uma delícia? Rolou comida, rolou música, rolou um monte de gente de bicicleta na Lagoa, rolou um pessoal soltando pipa, um pessoal fazendo malabarismos, e eu passei boa parte do tempo sentada numa piscina de encher (sem água), com uma coroa, abraçando meus amigos.

2009, 18 ANOS

2009-3

Não tenho uma única foto com a minha cara aparecendo no meu aniversário de 18 anos. Pois é. O plano da vez foi uma festa em preto e branco, estilo Capote, e comigo de vestido vermelho porque, afinal, eu era a aniversariante e estava fazendo 18 anos. Foi no auge dos meus piores dramas adolescentes, então tive umas cinco crises de choro ao longo da noite, por razões variadas. Revendo as fotos, reparei também que alguns penetras apareceram com roupas coloridas, estragando inteiramente as fotos legais de todo mundo dançando e o efeito visual extremamente necessário em uma festa em preto e branco. Penetra já é chato, penetra que estraga o esquema de cores da festa é pior ainda (vide: diversão é para ser organizada).

2008, 17 ANOS

2008-1

O total oposto da festa que fiz no ano seguinte, para os meus 17 organizei uma festa colorida. Assim, colorida ao extremo: todo mundo encorajado a misturar todas as cores do armário, abusar de (des)combinações absurdas, e deixar tudo o mais gritante e neon e contrastante possível. Mais uma vez, infelizmente, carece de fotos boas. A melhor de todas – que engloba a sala de gente dançando – é queima-filme demais para uma boa galera com quem não falo muito desde a época do colégio, então acho melhor não jogar por aqui!

2007, 16 ANOS

Total e absoluta falta de fotos (ok, tem uma única foto, mas ela inclui pessoas que não quero presentes no blógue). O que é estranho, porque tenho certeza que tinha mais fotos, então ou eu nunca salvei elas nesse computador, ou eu deletei todas por alguma razão emocional (sempre possível), ou eu estou ficando gagá e essas fotos nunca existiram. De qualquer forma, fica a descrição: total house party de filme americano. Teve show da banda do meu namorado da época, dos meus amigos, teve zero decoração, teve muito cachorro-quente, teve gente dançando, gente fofocando, e tanto tanto tanto d-r-a-m-a.

2006, 15 ANOS

O anticlímax: não fiz festa de 15 anos. Não, nenhuma. Também não fui pra Disney (fui pra Paris, mas acho que voltei antes do aniversário). Meu aniversário de 15 anos foi passado unicamente entre família, e talvez tenha rolado um momento ver-filmes-e-comer-pipoca com os amigos. Minha memória começa a ficar ruim daqui pra trás.

2005, 14 ANOS

2005-1

Desculpe aos amigos que constrangi com essa foto. Mas já faz dez anos, tá liberado o ridículo, né?

Como eu tinha 14 anos, passar um fim de semana na casa de praia com um bando de adolescentes pareceu uma ótima ideia (hoje em dia morro de pena dos meus pais, que tiveram que aguentar o papel de cicerones desse passeio). Talvez já dê pra reparar pelo resto da lista, mas preciso reiterar: D R A M A, taaaaaaanto D R A M A. O tipo de drama que acontece quando você joga umas 10 pessoas de 14 anos numa casa no meio do nada por três dias, o tipo de drama que acontece quando você dá seu primeiro beijo (sim! olha só que evento marcante de aniversário adolescente!), o tipo de drama que acontece quando contam histórias de terror e você morre de medo, quando tem fofoca demais pra gente de menos, quando quartos são divididos por gênero e pais têm que ciceronear seus passeios.

2004, 13 ANOS

2004-1

Mais uma viagem, menos uma festa. Dessa vez, o aniversário de fato foi passado viajando. Mais precisamente, presa num trem na Inglaterra o dia inteiro, acompanhada dos meus avós, de três livros e de um unicórnio de pelúcia, por uma série de desventuras que só o azar dos 13 anos é capaz de provocar. Felizmente, depois da viagem longa o que me esperava era um castelo em Nottingham, então não posso realmente reclamar tanto assim.

2003, 12 ANOS

NINGUÉM NA MINHA FAMÍLIA LEMBRA. É um lapso total e completo e absoluto de memória coletiva. Fiz alguma coisa? Provavelmente. Sei o que foi? Não faço a menor ideia.

2002, 11 ANOS

Mais um pedido de desculpas às amigas que constrangi com as memórias.

Mais um pedido de desculpas aos amigos que constrangi com as memórias.

Uma primeira versão do aniversário de 2005, mas na versão 11 anos: garotas, fofocas, histórias de terror debaixo de uma cabana de lençóis, e horas botando maquiagem cheia de glitter para jantar na sala ao lado.

2001, 10 ANOS

Foi minha primeira festa de noite, de dança, e nunca existiu uma festa mais 00’s do que essa. Tinha luz negra, o tipo de música que eu ouvia aos 10 anos (feat. a trilha de Moulin Rouge, muita Rita Lee e sucessos como “A onda” e “Bomba”), um instrutor de dança ~*descolada*~ que usava uma roupa toda listrada estilo Beetlejuice, e eu até hoje lembro da roupa que usei: camiseta de manga comprida muito estampada, saia jeans, meia-calça cinza mescla, Melissa de plataforma, e uma maquiagem com glitter furta-cor da Contém 1g e desenhos na pele feitos com uma caneta que brilhava na luz negra. Pois é.

2000, 9 ANOS

O início do meu amor profundo e verdadeiro por karaokê foi esse aniversário: aluguei um daqueles videokês que estavam super na moda na época, chamei a turma inteira, e ficamos cantando hits de artistas como Sandy & Junior e Mamonas Assassinas no sofá dos meus avós.

1999, 8 ANOS

Aos oito anos, eu ainda frequentava o clube para ir à piscina, correr de um lado para o outro, comer filé com batata frita, me entupir de sorvete, etc. Por isso, cheguei a comemorar meu aniversário lá, com uma enorme caça ao tesouro.

1998, 7 ANOS

Desesperada pra começarem o parabéns e liberarem o bolo.

Desesperada pra começarem o parabéns e liberarem o bolo.

Consolidando meu amor inteiramente não-característico por festas juninas, comemorei meus sete anos com uma festa junina fora de época (na verdade agora festas juninas acontecem cada vez mais tarde e não seria tão fora de época assim, né?). Todo mundo se fantasiou, dançou quadrilha e comeu docinhos, e lembro claramente de ser a primeira vez em que me escondi debaixo da mesa chorando porque cantaram “com quem será” no parabéns (por que pessoas fazem isso aos SETE ANOS?).

1997, 6 ANOS

1997-1

Minha primeira festa à fantasia! Tinha seis anos então obviamente não lembro de nada, mas fiquem com uma foto minha vestida de noiva/princesa/não-sei-bem, com um chapéu da minha avó, e brincando com adesivos.

1996, 5 ANOS

1996

Enquanto minha irmã comemorou um aniversário (muitos anos depois) com o mágico Girardi, grande hit das festas infantis da geração dela, eu tive um entretenimento mágico muito mais personalizado: meu avô, que na época estava aprendendo vários truques, e se apresentou na frente de um bando de crianças que ficaram impressionadas com seus poderes.

1995, 4 ANOS

Não lembro de nada, e tudo que minha mãe lembra é que a decoração tinha umas bolas, e que o bolo tinha uma forma diferente. E isso é tudo que vocês saberão sobre meu aniversário de quatro anos.

1994, 3 ANOS

Meu estilo infantil era IMPECÁVEL.

Meu estilo infantil era IMPECÁVEL.

Minha mãe (que obviamente eu consultei para fazer o post) só lembra que foi o primeiro aniversário depois que nos mudamos para a França. Eu só lembro (por fotos, claro) que a decoração era temática de animais (talvez de circo?).

1993, 2 ANOS

1993

Não se espera que eu lembre de nada do meu aniversário de dois anos, né? Mas essa foto adorável dos meus pais 90’s-to-the-max comigo no colo é ótima demais para não compartilhar.

1992, 1 ANO

Essa cara de euforia é de praxe nas minhas fotos de criança.

Essa cara de euforia é de praxe nas minhas fotos de criança.

Em casa, com a família, porque ninguém mais liga quando você faz um ano. Ganhei uma série de bichos de pelúcia e bonecos que tenho até hoje (inclusive alguns palhaços que ainda me dão pesadelos).

E vocês? Como comemoraram os últimos aniversários? Conseguem lembrar? Eu precisei consultar a família toda no jantar ontem para fechar a timeline correta de eventos (e mesmo assim 2003 continua um mistério para todos).